A importância da tinta industrial para grandes estruturas

INDÚSTRIA DE EQUIPAMENTOS

A corrosão está presente nos materiais metálicos em geral e, em especial, envolvidos nas diversas atividades industriais. A deterioração destes é causada pela interação físico- química entre o material e o meio corrosivo, onde causa grandes problemas nas mais variadas atividades.

Um dos setores que mais se prejudica com a corrosão é o petrolífero devido a influencia de constituintes dos fluidos de perfuração e da água de produção. Para evitar as perdas dos materiais de elevado uso industrial, são utilizadas técnicas anticorrosivas que incluem os revestimentos, as técnicas de modificação do meio, a proteção catódica e anódica e, os inibidores de corrosão como a utilização de compostos orgânicos.

A corrosão pode incidir sobre diversos tipos de materiais, sejam metálicos como os aços ou as ligas de cobre, por exemplo, ou não metálicos, como plásticos, cerâmicas ou concreto.

O enfoque aqui descrito será sobre a corrosão dos materiais metálicos. Esta corrosão é denominada corrosão metálica. Dependendo do tipo de ação do meio corrosivo sobre o material, os processos corrosivos podem ser classificados em dois grandes grupos, abrangendo todos os casos deterioração por corrosão:

  • • Corrosão Eletroquímica

  • • Corrosão Química.

Os processos de corrosão eletroquímica são mais freqüentes na natureza e se caracterizam basicamente por:

  • • Necessariamente na presença de água no estado líquido;

  • • Temperaturas abaixo do ponto de orvalho da água, sendo a grande maioria na temperatura ambiente;

  • • Formação de uma pilha ou célula de corrosão, com a circulação de elétrons na superfície metálica.

  • • A formação de uma película sobre a superfície metálica pode inibir ou impedir o processo corrosivo, a qual é denominada de passivação.

As tintas de manutenção industrial que são formuladas pela ANATIN TINTAS LTDA possuem características que permitem que as estruturas e equipamentos permaneçam por grandes períodos sem corrosão e periodicamente sofram uma manutenção, que pode ser desde um simples retoque até a substituição de toda a pintura remanescente por outras mais nova .

As tintas de manutenção industrial podem ser classificadas em:

Tinta de fundo (primer)

São tintas com finalidade de promoverem aderência do esquema sobre a peça ou com formulações que possuam propriedades inibidoras de corrosão ( quer por mecanismos eletroquímicos quer por barreiras), não devem ficar muito tempo expostas, necessitam de camada de acabamento.

Tintas intermediárias

Estas tintas não possuem as mesmas propriedades dos “primers”, mas auxiliam na proteção, dando maior espessura ao sistema de pintura. Geralmente são, semi brilho e em cores s neutras ( cinza claro) de modo a aumentar a barreira e serem mais econômicas.

Tintas de acabamento

Estas tintas tem a função de proteger o sistema contra o meio ambiente, conferir cor e o aspecto desejado ( brilhante, semi brilhante ou fosco). As tintas brilhantes conferem maior resistência aos meios agressivos bem como melhor manutenção de cor, por terem maior teor de resina em sua formulação.


Compatibilidade entre tintas

É muito importante que haja compatibilidade entre as tintas que compõe um esquema de pintura, pois se tal não ocorrer poderá haver problemas como enrugamento, falta de aderência, levantamento, sangramento e outros.

Quando se indica uma tinta para aplicar em estrutura já pintada é necessário conhecer qual o tipo de tinta existente a fim de determinar a compatibilidade.

Exemplos: Se a tinta antiga for do tipo “esmalte sintético” a utilização de tintas do tipo epóxi ou poliuretano, pode sensibilizar devido aos solventes utilizados nos epóxis e poliuretanos terem maior poder de solvência, o que afetará o esmalte. O oposta já pode ocorrer pois os solventes dos esmaltes não afetam aos epóxis ou poliuretano.

Dica: Caso não conhecemos a tinta antiga, e a melhor opção for a aplicação de uma tinta poliuretano para manutenção. Podemos pegar uma estopa ou algodão embebido em solvente para poliuretano e deixar em cima da tinta antiga por 15 minutos, após este tempo verificamos como se comportou a tinta antiga, se esta “amoleceu” ou enrugou, não há compatibilidade.

Padrão de CoresVeja o padrão de cores:

Anatin Tintas - Todos os direitos reservados. Termos de Uso | Privacidade